Diferença entre processos civis e criminais

Casos Civis vs Criminais

Casos está principalmente movido em duas categorias 'processo civil ou processo criminal. Os casos civis tratam de disputas ou brigas ou desentendimentos entre organizações, indivíduos ou entre os dois. Os casos criminais tratam de um ato ou crime criminoso.

Dentro casos criminais , existe a possibilidade de alguém considerado culpado ser preso, executado ou solicitado a pagar multas de acordo com a profundidade do caso. Os crimes se enquadram em duas categorias 'crimes e contravenções. Em crimes, alguém considerado culpado recebe mais de um ano de prisão, e em contravenções, a prisão é de menos de um ano. No direito civil, uma pessoa não é encarcerada nem executada. O réu perdedor tem que reembolsar o querelante pelos prejuízos que ele causou.
O ónus da prova em casos criminais é do Estado. É o Estado que deve provar que o réu é culpado. Como o réu é considerado inocente, não há necessidade para o réu provar qualquer coisa. O ônus da prova em casos criminais está 'além de qualquer dúvida razoável'.
Nos casos civis, o ônus da prova recai sobre o demandante. Dentro alguns casos, o ônus da prova pode recair sobre o réu. No caso de o requerente ter um caso prima facie, então há uma chance de que o ônus possa ser transferido para o réu. Em casos civis, o ônus da prova é a 'preponderância da prova'.
Em casos civis, ambas as partes envolvidas podem apelar para um tribunal superior. Mas em casos criminais, apenas o réu posso apelar a um tribunal superior. A acusação não pode recorrer se o arguido não for considerado culpado.

Resumo
1. Os casos civis tratam de disputas ou disputas ou desentendimentos entre organizações, indivíduos ou entre os dois. 2. Os casos criminais tratam de um ato ou delito criminoso.
3.Em casos criminais, existe a possibilidade de alguém considerado culpado ser preso, executado ou requerido o pagamento de multas de acordo com a profundidade do caso.
4.No direito civil, uma pessoa não é encarcerada nem executada. O réu perdedor tem que reembolsar o querelante pelos prejuízos que ele causou.
5. Em casos criminais, o ónus da prova recai sempre sobre o Estado. É o Estado que deve provar que o réu é culpado. Nos casos civis, o ônus da prova recai sobre o demandante.
6.Em casos cíveis, ambas as partes interessadas podem apelar para um tribunal superior. Mas em casos criminais, apenas o réu pode apelar para um tribunal superior.